Início » 9 Dicas de Como Importar para Revender Legalmente

9 Dicas de Como Importar para Revender Legalmente

por Guto Campos
Como Importar

É muito comum que surjam dúvidas sobre como importar, seja para uso pessoal ou para revender, e a principal preocupação é sobre os custos de importação e como fazer de forma legal.

Eu mesmo conheço muita gente que começou com o Dropshipping, na famosa Intermediação de Negócios.

E após calcular os custos e vantagens, acabaram migrando para a importação tradicional.

Pensando nisso, no artigo de hoje vou falar um pouco sobre como importar de forma legal, além de trazer dicas de como se organizar para revender os produtos dentro da legislação vigente.

Processo de importação legal

Primeiramente, é importante dizer que o processo de importação e de revenda de produtos é legal no Brasil, desde que o vendedor realize o processo dentro do estabelecido na lei.

Por isso, é fundamental conhecer os direitos e obrigação, para assim realizar todo o planejamento necessário antes de importar.

Porém, engana-se quem pensa que a importação é coisa de empresários e de pessoas com melhores condições financeiras.

Basicamente, a importação é a compra de produtos estrangeiros, ou seja, produzidos e comercializados em outro país.

Sendo assim, é possível importar de diversos lugares do mundo!

Embora o maior volume de importações seja proveniente dos Estados Unidos e da China, que são os países com melhor desenvolvimento tecnológico e produtos de qualidade.

Contudo, as principais preocupações acerca da importação são a demora na entrega do produto e a taxação.

Proveniente do processo de nacionalização e registro do produto pela Receita Federal.

Por exemplo, se você faz compras na China, pelo método de entrega mais conta, ou seja, marítimo, possivelmente o seu produto irá demorar pelo menos 03 (três) meses para chegar no Brasil.

Além desse tempo, ainda existe a burocracia e a legalidade brasileira.

Que demora cerca de 30 dias para ser realizada, correndo o risco de o produto ser taxado e o comprador precisar pagar um valor a mais para recebê-lo.

Maneiras de Como Importar

Como Importar de Fábricas?

Basicamente, existem 02 (duas) maneiras de importar: por meio de trading e por meio das fábricas, e a seguir vamos falar de cada uma delas.

Como Importar por Trading

De modo geral, a trading é uma empresa que atua de duas formas.

Podendo ser a empresa que realiza a compra de produtos, fazendo estoque deles e revendendo ou ainda a empresa que faz a intermediação da compra.

Sendo assim, estas empresas facilitam o processo de compra e importações de produtos com os negociantes do comércio exterior.

Dessa forma, optar pela importação por trading é uma maneira mais segura de fazer a sua importação, já que a empresa faz a análise do fornecedor, diminuindo os riscos de uma compra errada.

Como Importar por Fábricas

No caso das fábricas, a negociação é muito mais rápida, segura e direta do que a negociação com as tradings.

Sendo assim, o contato com a fábrica é muito mais rápida, além de oferecer custos mais baixos, tendo o contato direto na fonte ao invés de recorrer à um intermediário.

De onde importar?

De Onde Importar?

Atualmente, as opções mais viáveis e populares para importar é da China e dos Estados Unidos. Contudo é importante estar atento aos detalhes ao longo do processo de importação.

Primeiramente, existem dois pontos essenciais para importar produtos para revender: é necessário estar atento à legislação brasileira e as notas fiscais. Ou seja, todos os produtos devem ter nota fiscal válida.

O segundo ponto que deve ser considerado é a nacionalização do produto.

Que acontece quando o produto chega no Brasil e passa pela alfândega para avaliação.

É justamente nesse ponto onde ocorre a taxação do produto, que deve ser paga por quem pediu o produto para que assim ele seja entregue.

Independente do produto ser importado para uso pessoal ou para revenda, é importante estar atento às regras de importação.

No caso de eletrônicos, é importante que os produtos estejam de acordo com as especificações homologadas pela Anatel.

Ou seja, os produtos que entram no Brasil devem ser licenciados e aprovados pela autoridade competente, como por exemplo, Anvisa, MAPA e Inmetro.

Além disso, existe uma limitação no valor das compras realizadas por pessoas físicas, que não podem ultrapassar dos US$ 500.

Acima desse valor, a compra deve ser feita por pessoa jurídica, que deve obedecer às seguintes exigências e apresentar os seguintes documentos:

  • Licença de Importação, que pode ser Automática ou Não-Automática;
  • Fatura Pró-Forma, que é um documento preliminar da venda, o qual contém todos os detalhes como a quantidade, peso, embarque, forma de pagamento, dentre outros;
  • Fatura Comercial, que demonstram a efetivação e a realização da importação, a qual é exigida pela Alfândega;
  • Romaneio de Carga, que descreve todas as mercadorias enviadas e todos os componentes da carga que virá ao Brasil;
  • Declaração de Importação, que traz todas as informações comerciais, fiscais e cambiais do produto importado;
  • Conhecimento da Carga, que está relacionado com a contratação do serviço de frete do produto.

Vale a pena importar para revender?

Uma das principais perguntas sobre como importar produtos para revender é se realmente vale a pena, e a resposta para esse questionamento é: SIM.

Importar de outros países vale muito a pena pelo fato de que você estará oferecendo produtos de altíssima qualidade para os seus clientes a um custo mais baixo do que os comprar aqui para revender.

Entretanto, existem duas situações que podem tornar a importação desvantajosa.

Que é o valor do dólar e as taxas pagas no processo de nacionalização do produto.

Por isso destacamos que é essencial estar atento aos mínimos detalhes no processo de importação, para não ter custos a mais e sair no prejuízo.

Passo a passo da importação legal

Se você tem interesse em revender produtos importados, vou te explicar abaixo o passo a passo de forma descomplicada de como importar e ter o seu próprio negócio.

Tenha um bom planejamento prévio

Antes de pensar em abrir o seu próprio negócio, é importar se planejar para não ter grandes surpresas.

Sendo assim, você deve ter em mente quais os produtos serão importados e qual será o seu público-alvo.

Além de considerar a demora em todo o processo de importação.

Por isso, ter um bom planejamento de estoques lhe ajudará muito a sempre ter produtos disponíveis, além de reduzir os custos com estoques e com uma possível taxação.

Identifique seus direitos de importação

O segundo passo acerca de como importar é estar atento aos seus direitos, principalmente no que se trata do transporte e entrega do seu produto.

Nesse sentido, você deve analisar qual é a empresa que realizará a sua entrega e quais as condições da importação, para também estar amparado de forma legal e não ter custos adicionais.

Selecione as mercadorias que serão importadas

Escolher as mercadorias que serão importadas faz toda a diferença, assim como ter um bom planejamento prévio.

É fundamental que você tenha em mente quais os produtos irão importar!

Tal como a quantidade de produtos, características e acima de tudo, se o produto é realmente o que você espera, para não pedir errado.

Faça a escolha do seu fornecedor no exterior

Outro ponto essencial para fazer a sua importação com segurança é escolher muito bem os seus fornecedores, o que irá exigir muita cautela.

Com a tecnologia, esse processo se tornou muito mais fácil, já que as compras podem ser feitas por sites e por aplicativos.

Entretanto, é fundamental buscar informações sobre os produtos, a qualidade na entrega, cumprimento de prazos e todos os detalhes que compõem o processo de importação.

Além disso, se você está importando para revender, pense no seguinte:

Por que importar algo que você não compraria ou que não tem demanda no mercado?

Importar produtos para revender sem nenhum critério ou apenas pela curiosidade de saber como o mercado funciona não é uma estratégia muito inteligente e pode lhe trazer grandes custos, inclusive.

Defina o seu público-alvo

Público Alvo

Conhecer o seu público-alvo também é um passo fundamental no processo de importação.

Pois é a partir do comportamento desse público que você irá construir o seu negócio.

Portanto, quanto mais informações você tiver sobre o seu público, mais assertiva será a sua compra, já que será possível ter ideia de como é o comportamento e a demanda desse público, tal como seus interesses.

Outro detalhe que também é importante é saber se os produtos que você está importando fazem parte da lista de desejos do seu público, para não trazer o produto para o Brasil e ter prejuízos.

Conheça as normas de importação

Não tem como evitar: para saber como importar é necessário conhecer a legislação e as normas de importação, já que o seu negócio estará completamente vinculado a elas.

Muitas pessoas começam importando de maneira pessoal, apenas por uma curiosidade ou para ter renda extra.

Com o tempo, a tendência é que o volume de compras aumente, gerando a necessidade de um CNPJ.

Atualmente, a maneira mais viável para possui um CNPJ e importar para revender é por meio do cadastro como Microempreendedor Individual (MEI).

Este cadastro é essencial para os empreendedores que estão dando os seus primeiros passos no mercado da importação, pois possui um regime de tributação muito mais simples do que os demais.

Além disso, um MEI tem as seguintes prerrogativas:

  • Possibilidade de emitir notas fiscais;
  • Isenção do Imposto de Renda retido na fonte (IRRF) e Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins), pagando uma taxa fixa no valor de R$ 50.

Outro detalhe que irá lhe auxiliar muito a importar legalmente e reduzir os custos é estar atento aos impostos da importação (taxação) e os custos com o transporte dos seus produtos.

Se for necessário, tenha um intermediador

É muito comum ver algumas pessoas pedindo para que outras pessoas comprem os produtos foram do país e enviem, como um intermediador.

No caso de importar para revender, você pode ter um intermediador ou contratar um serviço de redirecionamento das suas encomendas.

Essa é uma estratégia vantajosa para quem deseja reduzir os custos de importação e a taxação dos produtos importados.

Esteja atento à emissão das notas fiscais

Impostos e Notas Fiscais na Importação

As notas fiscais são essenciais para a entrada de produtos no Brasil, e por isso, todos os produtos importados devem ter notas fiscais válidas.

Além disso, você deve verificar se o produto que está importando é aceito no país, tal como conhecer a tarifação de cada produto e suas burocracias.

Estabeleça preços adequados para os seus produtos

O processo de definição de preços é um dos processos mais delicados no momento da revenda.

Pois se não for feito da forma correta, não será possível ter lucros.

Nesse sentido, é importante considerar todos os custos que você teve no processo de importação, tanto fora quanto dentro do território nacional, incluindo custos com publicidade, marketing e outros.

Melhores produtos para importar e revender

Existe uma boa gama de produtos que podem ser importados com segurança, tanto dos Estados Unidos quanto da China.

Contudo, é importante estar atento às legislações de cada mercado, tal como as taxas que podem incidir sobre os produtos.

Atualmente, é possível importar produtos dos Estados Unidos por meio de sites, tento um processo muito menos burocrático e com preços mais baixos, tendo como principais vantagens:

  • Maior gama de produtos disponíveis para importação;
  • Maior margem de lucro;
  • Flexibilidade e menor burocracia no processo de compra;
  • Maior competitividade no mercado.

Dentro desse tipo de importação, você pode importar os seguintes produtos:

  • Roupas, sapatos e bolsas de marcas famosas;
  • Maquiagens, produtos de beleza e cuidados com a pele;
  • Eletrônicos;
  • Acessórios;
  • Perfumes de luxo;
  • Relógios;
  • Jogos e consoles;
  • Suplementos;
  • Acessórios para carro.

Conclusão 

Nos dias de hoje, importar produtos para revender se tornou muito mais simples do que se imagina, já que a tecnologia facilita todo o processo.

Assim, importar para revender é uma opção viável para iniciar o seu próprio negócio, principalmente se você busca se destacar pela qualidade e exclusividade dos produtos.

Dessa forma, utilizar os sites e aplicativos como o Aliexpress, Amazon e Wish pode ser uma saída mais barata, embora a entrega seja demorada e ainda haja o risco de taxações.

Tenho um presente especial para você que leu até aqui!

As regras mudaram!

Como Viver de Internet em 2022?

Baixe o E-book GRATUITO e aprenda como ganhar dinheiro na internet a partir de hoje!

    Artigos Relacionados

    Deixe um comentário

    Este website utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.
    Aceitar e Fechar